Temas Atuais

Evite sofrimentos desnecessários e atente a suas necessidades

De fato, passamos a vida evitando o sofrimento.
Porém, paradoxalmente, algumas vezes nossas atitudes, ou a falta delas, na tentativa de nos manter seguros, nos impulsionam ou nos mantêm ligados ao sofrer.
Neste momento, penso que poderia seguir por vários caminhos para falar dessa nossa característica. Como sobre as vezes que ficamos procrastinando, ansiosos, em círculos, como um cachorro perseguindo o próprio rabo. Poderia falar de alguns aspectos angustiantes da autocrítica, que nos paralisa muitas vezes. Mas o que se mantém fixo na minha cabeça é a mudança de canal, a virada de chave, que ouvi de um professor ao falar das resistências com as quais muitas vezes nos deparamos frente às atitudes que podem nos beneficiar.
Um ponto é olhar para o que nos impede ou afasta de fazer algo bom ou necessário para nós mesmos. O outro é justamente poder estar atento, se relacionar, e entender quais necessidades nossas estão pedindo para ser atendidas com nosso comportamento de esquiva (procrastinador, ou qualquer outra expressão que você queira usar neste momento) daquilo que pode nos manter em situações que nos prejudicam, que nos fazem próximos ao sofrimento evitável.
Se, por exemplo, seguirmos a linha da CNV*, podemos, ao perceber-nos inquietos, ansiosos, procrastinadores, autocríticos, parar um pouco, refletir com mais profundidade e tentar responder aos seguintes pontos:
- Quando eu deixo de fazer, adio, não priorizo “isto” (uma tarefa, meu tratamento, uma atividade física)
Eu me sinto ... (ansioso/a, triste, frustrado/a)
E percebo que minhas necessidades de ... (segurança, evolução, tranquilidade) não estão sendo atendidas.

Esse exercício pode lhe ajudar a estar atento e a atender as suas reais necessidades.
Quando você se deparar repetindo situações que acabam lhe aproximando do sofrimento, tente respirar fundo 3 vezes. Entre em contato com sua experiência no momento. Reflita sobre os pontos citados acima. Procure ações que atendam as suas necessidades fundamentais de uma forma eficaz.
Teste essa possibilidade na próxima vez! Talvez isso possa lhe dar mais espaço para não sofrer com a expectativa, ou com o não feito, mais tempo para o autocuidado e mais disposição para priorizar o que lhe traz benefícios.
Cuide-se muito bem. Foque no seu profundo bem-estar pessoal, físico, mental, emocional.
Deixe um pouco a autoexigência e a autocrítica de lado: reconheça suas necessidades e busque recursos disponíveis para atendê-las.

*CNV - Comunicação Não-Violenta

 

 Texto escrito pela Psicóloga Tirza Martinez da equipe CEFI Integração